1° de Dezembro, Dia Mundial de Luta Contra a AIDS

Hoje, dia 1° de Dezembro é comemorado o Dia Mundial de Luta Contra a AIDS (síndrome da imunodeficiência adquirida), mas boa parte da população não sabe o porquê e nem como se luta contra essa doença, que atinge principalmente jovens entre 13 e 24 anos, em sua maioria, homossexuais.

A decisão de transformar essa data no dia mundial de luta contra a AIDS veio em outubro de 1987. Com apoio da Organização das Nações Unidas – ONU, a Assembleia Mundial de Saúde queria reforçar a solidariedade, a tolerância, a compaixão e a compreensão com as pessoas infectadas pelo HIV/AIDS.

O laço vermelho que é visto como símbolo de solidariedade e de comprometimento na luta contra a doença foi um projeto criado em 1991 pela Visual AIDS, grupo de profissionais que queriam homenagear amigos com a doença. O símbolo foi escolhido por sua ligação ao sangue e a paixão.

Em comemoração, na manhã de hoje aconteceu uma palestra de conscientização para os usuários que estavam na recepção do Hospital Ernestina Lopes de Pirenópolis, onde foi falado sobre a doença, prevenções e como portadores podem levar uma vida normal.

O Que é AIDS?

  • Essa disfunção afeta as pessoas que foram contagiadas com o HIV (vírus da imunodeficiência humana), causando a perda progressiva da capacidade do corpo se defender contra infecções e doenças. É uma doença de transmissão sexual, embora também possa contagiar-se por outras vias, como: vias sanguíneas ou pacientes portadoras do HIV grávidas.

Como prevenir a AIDS?

Transmissão sexual:

  • Se você mantém relações sexuais esporadicamente com alguém ou não sabe se o (a) parceiro (a) possui ou não a doença, use sempre o preservativo.

Transmissão por vias sanguíneas:

  • Sempre que precise usar uma seringa ou agulha assegure-se de que a mesma esteja em embalagem fechada, esterilizada e seja de procedência confiável.
  • Caso você precise receber sangue, assegure-se de que vem de um lugar seguro e tenha sido submetido a todos os exames para descartar a presença de alguma doença.
  • Se você manipula sangue ou feridos em virtude do seu trabalho, utilize sempre a proteção adequada: luvas de látex e protetores faciais das mucosas.
  • E claro, nunca compartilhe agulhas ou seringas.

Transmissão por pacientes grávidas:

  • A forma mais decorrente de contágio do bebê pela mãe é com a perfuração da placenta, que aumenta o risco de haver contato entre o sangue da mãe com o do filho. Por isso, o indicado é que o parto seja feito através da cesariana, e não normal.

 

A AIDS não tem cura. Previna-se!

 

Deixe seu comentário!